Inflação: o fenômeno é mundial

11 de maio de 2022
Hoje o IBGE divulgou o IPCA de abril e, embora tenha tido uma queda em relação a março, a inflação segue em um patamar elevado. Acontece também que, desta vez, nosso processo inflacionário faz parte de um contexto mundial.

Hoje o IBGE divulgou o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de abril: 1,06%.

Embora represente uma queda em relação a março (1,62%), o acumulado dos últimos 12 meses somou 12,13%.

1,06% é também o maior número para abril desde 1996, ocasião em que os brasileiros ainda não acreditavam totalmente no sucesso do Plano Real e viviam sob o signo da desconfiança, tantos haviam sido os planos fracassados.

Quanto aos 12,13% acumulados aqui no Brasil, trata-se do maior número desde 1995.

Acontece também que desta vez a inflação brasileira faz parte de um contexto mundial.

Na Zona do Euro, por exemplo, o CPI (Consumers Price Index – Índice de Preços ao Consumidor) anual está em 7,5%, o maior desde 1982, quando a economia mundial ainda sofria a pressão inercial dos dois choques do petróleo: 1973 (guerra do Yom Kipur) e 1980 (revolução iraniana).

Acaba de sair o CPI dos últimos 12 meses na Alemanha, 7,4%, o maior em 41 anos, quando muitos dos leitores deste texto ainda não eram nem nascidos.

Como se sabe, as causas disso tudo desta vez foram a pandemia de Covid (e a expansão monetária aplicada para minimizar seus efeitos na economia), agravada pela guerra da Ucrânia.

Já o CPI americano dos últimos doze meses, também divulgado hoje, veio em 8,3%, acima da previsão (8,1%), mas inferior ao número recorde de 8,5% registrado no mês passado.

Enfim, como diz o título deste texto, trata-se de um fenômeno mundial. Seria praticamente impossível que o Brasil ficasse de fora.

O importante agora é que os diversos bancos centrais mundo afora acertem na calibragem dos juros para que o remédio não se transforme em recessão. Ou estagflação, que é ainda pior.

A conferir os próximos dados para sabermos se estamos no pior momento ou se daqui para a frente as coisas vão melhorar.

 

Um forte abraço,

Ivan Sant’Anna

Nota do editor: com mais de 60 anos de experiência em investimentos, Ivan Sant’Anna ajuda “investidores comuns” a olhar para o mercado financeiro (e suas oportunidades) como investidores profissionais. Você tem a chance de ficar frente a frente com o Ivan. Dia 30/5, às 19h, ele dará uma palestra exclusiva para 150 pessoas, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em SP, no pré-lançamento do seu livro Coração de Trader. Os lugares já começaram a ser reservados… Clique neste link e garanta sua vaga agora mesmo.

Conheça o responsável por esta edição:

Ivan Sant'Anna

Trader e Escritor

Uma das maiores referências do mercado financeiro brasileiro, tendo participado de seu desenvolvimento desde 1958. Atuou como trader no mercado financeiro por 37 anos antes de se tornar autor de livros best-sellers como “Os Mercadores da Noite” e “1929 - Quebra da Bolsa de Nova York”. Na newsletter “Mercadores da Noite” e na coluna “Warm Up PRO”, Ivan dá sugestões de investimentos, conta histórias fascinantes e segredos de como realmente funciona o mercado.

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240