A mais doce das commodities

25 de maio de 2022
A mais doce das commodities está ameaçando começar um novo bull run. Entenda esse fenômeno com Ivan Sant’Anna.

Como os leitores de meus textos já devem ter percebido, tenho uma predileção especial pelo mercado de açúcar.

Agora ele está ameaçando encetar um novo bull run.

Motivo: a Índia, segunda maior exportadora mundial (o Brasil é o primeiro, por larga margem), anunciou que limitará suas vendas para o exterior a 10 milhões de toneladas na temporada que se encerra em setembro de 2022.

No momento, a libra-peso de açúcar está cotada a US$ 0,1960 na ICE (Intercontinental Exchange), em Nova York.  

É bem provável que o preço ultrapasse os vinte e três centavos alcançados em setembro de 2016.

Parece pouco, mas não é.

Como o contrato de açúcar é de 112.000 libras, para cada centésimo de centavo de dólar de variação no preço da libra-peso, os especuladores ganham ou perdem US$ 11,20.

Portanto, se o mercado subir dos atuais US$ 0,1960 para os US$ 0,2300 de seis anos atrás, os comprados ganharão US$ 3.808,00 por contrato. Se forem dez, US$ 38.080,00. Cem, US$ 380.080,00. E assim por diante.

Isso é o que se pode ganhar especulando em Nova York.

Há outras maneiras de se lucrar com a alta do açúcar, sem ter que aplicar dinheiro lá fora. Basta comprar, na B3, ações de empresas que produzem e exportam a mais doce das commodities.

Outros países estão cortando as mais diversas exportações. A Malásia, por exemplo, suspendeu os embarques de carne de frango. Por sinal, é outro produto do qual nós somos campeões de venda.

Como potência das matérias-primas, o Brasil tem tudo para se beneficiar dessa nova era das commodities que, em minha opinião, ainda está em seu começo.

Poderemos reviver o milagre econômico dos anos 1970.

Um forte abraço,

 

Ivan Sant’Anna

Nota do editor: com vasto conhecimento em commodities agrícolas e outros ativos que podem propiciar “grandes tacadas”, Ivan Sant’Anna vai falar para uma seleta plateia de investidores, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, nesta segunda, 30/5, às 19h. Os lugares estão se esgotando, mas… Ainda dá tempo de participar! Quer saber como VOCÊ pode aproveitar os movimentos do mercado financeiro para buscar lucros, mesmo em cenários incertos? Neste link você faz sua inscrição (confirmação sujeita à disponibilidade de vagas).

Conheça o responsável por esta edição:

Ivan Sant'Anna

Trader e Escritor

Uma das maiores referências do mercado financeiro brasileiro, tendo participado de seu desenvolvimento desde 1958. Atuou como trader no mercado financeiro por 37 anos antes de se tornar autor de livros best-sellers como “Os Mercadores da Noite” e “1929 - Quebra da Bolsa de Nova York”. Na newsletter “Mercadores da Noite” e na coluna “Warm Up PRO”, Ivan dá sugestões de investimentos, conta histórias fascinantes e segredos de como realmente funciona o mercado.

A Inv é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240